sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Texto da minha infância


A Porta

Eu sou feita de madeira
Madeira, matéria morta.
Mas não há coisa no mundo
Mais viva do que uma porta.

Eu abro devagarinho
Pra passar o menininho.
Eu abro bem com cuidado
Pra passar o namorado.
Eu abro bem prazenteira
Pra passar a cozinheira.
Eu abro de sopetão
Pra passar o capitão.

Só não abro pra essa gente
Que diz (a mim bem me importa)
Que se uma pessoa é burra,
É burra como uma porta.

Eu sou muito inteligente!

Eu fecho a frente da casa,
Fecho a frente do quartel,
Fecho tudo nesse mundo,
Só vivo aberta no céu!

Vinícius de Moraes, Poemas Infantis
*Imagem retirada do Google.

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Parabéns a todas as professoras!!!


Ufa! Quase não tive tempo de fazer esse post mas, não podia deixar para depois o ABRAÇO apertado a todas as professoras e professores do nosso país, pois vendo a situação da educação por aqui constato que somos heróis e heroinas porque acreditamos mesmo quando nada parece dar certo.

Quem não sonha, não realiza! diria a minha amada Pró Márcia Leone e eu sonho que um dia existirá eqüidade na nossa sociedade.

Hoje visitei uma escola municipal do suburbio para concretizar o meu projeto de estágio e fiquei com vontade de não sair mais de lá, mas infelizmente (ou felizmente em alguns casos) é a Secretaria de Educação que determina para onde vão os estágiarios, muitas vezes tive dúvida sobre a minha opção, as pessoas costumam nos perguntar porque optamos pelo magistério e cá para nós não somos valorizados, mas hoje tive todas as certezas que outrora procurei: EU SOU PROFESSORA. E nada há de mais encantador que semear em campos tão fertéis.

Como diria o meu também amado Gabriel Chalita:

"Aos velhos e jovens professores,aos mestres de todos os tempos que foram agraciados pelos céus por essa missão tão digna e feliz.Ser professor é um privilégio. Ser professor é semear em terreno sempre fértil e se encantar com a colheita. Ser professor é ser condutor de almas e de sonhos, é lapidar diamantes"

Parabéns a todos os semeadores.

terça-feira, 13 de outubro de 2009

Mais um inocente...

Eu sou mãe e não posso me calar diante da dor da mãe de Gabriel, esse fato aconteceu na minha rua mas acontece diariamente no seio de várias familias. Eu não conheço a mãe de Gabriel e não consigo suportar imaginar a dor que ela está sentindo. Aos familiares os meus sentimentos, as nossas leis,legisladores, governantes e demais participantes dessa vergonha o meu desprezo. Gabriel, sabemos que você é um anjo e está diante da vida eterna, aos pais força.


Corpo de menino vítima de bala perdida é enterrado

Helga Cirino e Sidnei Matos | A TARDE

>>Você conhece alguém que tenha sido vítima de bala perdida? Conte essa história.

Cerca de duzentas pessoas, entre familiares, amigos de rua e de escola estão no Cemitério Quinta de São Lázaro, onde Gabriel da Rocha Paz, menino de oito anos morto vítima de bala perdida, será enterrado. Ao todo, quatro ônibus chegaram lotados para o enterro do menino. Revolta e dor marcavam o começo da cerimônia de sepultamento.

O corpo do menino foi liberado pelo no Instituto Médico Legal Nina Rodrigues (IMLNR) no começo da tarde desta terça-feira 13.

Bala perdida - Gabriel Rocha da Paz foi atingido por uma bala perdida e acabou morrendo, na tarde desta segunda, no bairro do Uruguai. Gabriel ia com os primos e uma tia para uma festa, na localidade do Bate-Estaca, quando um homem chegou atirando contra um rival, na Rua 25 de Dezembro, por volta das 15h.

O tiro que matou o menino teria sido disparado por um traficante que pretendia matar o rival Roberto Lopes Santos, que também acabou baleado. Os pais do menino estavam em Itaparica no momento do crime.

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

FELIZ DIA DA CRIANÇA


Ser criança
é poder correr
sem olhar pra trás
seguir em frente
até onde vai a visão
È lambuzar-se com um pirulito
chocolate, cachorro-quente
È chorar pela queda e em
segundos sorrir
É fazer o que está ao seu redor
SORRIR
È imaginar que é princesa, pirata, herói
È ter um castelo em um dia e uma ilha inteirinha no outro
e convidar os amigos para brincar nas sua propriedades
È querer ser grandão
mas sem as chatices de gente grande
È um beijo melado
Um sorriso sincero
Um abraço apertado
È a mais doce vivência do ser

sábado, 10 de outubro de 2009

Para as crianças grandes...

VOLTANDO A SER CRIANÇA

Vivemos uma realidade tão dura que, às vezes, queremos voltar à infância,à época de fantasias,convivência com os pais,tendo nosso próprio mundo,sem as múltiplas preocupações,tantas decepções e as constantes pressões...

Mas nem todos tiveram um lar,ou não foram felizes na infância,e nem essa volta é possível.Mas ser adulto também não é sinônimo de carrancudo e só pensar na dura realidade.Jesus disse que precisávamos nos tornar como crianças para herdar o Reino dos céus...

Viva o momento presente da vida,mas não mate o espírito de criança que um dia houve em você.Cultive a simplicidade,o mundo de sonhos a alegria, o amor à natureza e a confiança em Deus.Com toda a certeza sua vida terá mais sentido e muito mais beleza...
(Fernando Partiners)

domingo, 4 de outubro de 2009

Para sonhar...

“...Quem gosta de viver não tem preguiça de reinventar, nem medo de ousar. Quem gosta de viver não tem medo de ternura, da gentileza, do amor. Quem gosta de viver, educa!...”

Gabriel Chalita

Para onde vamos?

Li esse texto do mestre Ariano Suassuna em um blog e não pude deixar de postar no meu. Não é preciso ir muito longe para ver um bando de mulheres eufóricas enquanto um cantor de pagode grita:
" Tem cachorra aí?"
E como sinônimo de mulher temos ainda " piriguete ( e não venham me falar do significado do dicionário) . Eis o texto:


‘Tem rapariga aí? Se tem, levante a mão!’.

A maioria, as moças, levanta a mão. Diante de uma platéia de milhares de pessoas, quase todas muito jovens, pelo menos um terço de adolescentes, o vocalista da banda que se diz de forró utiliza uma de suas palavras prediletas (dele só não, e todas bandas do gênero). As outras são ‘gaia’, ‘cabaré’, e bebida em geral, com ênfase na cachaça. Esta cena aconteceu no ano passado, numa das cidades de destaque do agreste (mas se repete em qualquer uma onde estas bandas se apresentam). Nos anos 70, e provavelmente ainda nos anos 80, o vocalista teria dificuldades em deixar a cidade.

Pra uma matéria que escrevi no São João passado baixei algumas músicas bem representativas destas bandas. Não vou nem citar letras, porque este jornal é visto por leitores virtuais de família. Mas me arrisco a dizer alguns títulos, vamos lá: Calcinha no chão (Caviar com Rapadura), Zé Priquito (Duquinha), Fiel à putaria (Felipão Forró Moral), Chefe do puteiro (Aviões do forró), Mulher roleira (Saia Rodada), Mulher roleira a resposta (Forró Real), Chico Rola (Bonde do Forró), Banho de língua (Solteirões do Forró), Vou dá-lhe de cano de ferro (Forró Chacal), Dinheiro na mão, calcinha no chão (Saia Rodada), Sou viciado em putaria (Ferro na Boneca), Abre as pernas e dê uma sentadinha (Gaviões do forró), Tapa na cara, puxão no cabelo (Swing do forró). Esta é uma pequeníssima lista do repertório das bandas.

Porém o culpado desta ‘desculhambação’ não é culpa exatamente das bandas, ou dos empresários que as financiam, já que na grande parte delas, cantores, músicos e bailarinos são meros empregados do cara que investe no grupo. O buraco é mais embaixo. E aí faço um paralelo com o turbo folk, um subgênero musical que surgiu na antiga Iugoslávia, quando o país estava esfacelando-se. Dilacerado por guerras étnicas, em pleno governo do tresloucado Slobodan Milosevic surgiu o turbo folk, mistura de pop, com música regional sérvia e oriental. As estrelas da turbo folk vestiam-se como se vestem as vocalistas das bandas de ‘forró’, parafraseando Luiz Gonzaga, as blusas terminavam muito cedo, as saias e shortes começavam muito tarde.

Numa entrevista ao jornal inglês The Guardian, o diretor do Centro de Estudos alternativos de Belgrado. Milan Nikolic, afirmou, em 2003, que o regime Milosevic incentivou uma música que destruiu o bom-gosto e relevou o primitivismo estético. Pior, o glamour, a facilidade estética, pegou em cheio uma juventude que perdeu a crença nos políticos, nos valores morais de uma sociedade dominada pela máfia, que, por sua vez, dominava o governo.

Aqui o que se autodenomina ‘forró estilizado’ continua de vento em popa. Tomou o lugar do forró autêntico nos principais arraiais juninos do Nordeste. Sem falso moralismo, nem elitismo, um fenômeno lamentável, e merecedor de maior atenção.

Quando um vocalista de uma banda de música popular, em plena praça pública, de uma grande cidade, com presença de autoridades competentes (e suas respectivas patroas) pergunta se tem ‘rapariga na platéia’, alguma coisa está fora de ordem. Quando canta uma canção (canção?!!!) que tem como tema uma transa de uma moça com dois rapazes (ao mesmo tempo), e o refrão é ‘É vou dá-lhe de cano de ferro/e toma cano de ferro!’, alguma coisa está muito doente. Sem esquecer que uma juventude cuja cabeça é feita por tal tipo de música é a que vai tomar as rédeas do poder daqui a alguns poucos anos.

Ariano Suassuna

Eu sou...








Minha aldeia



Minha tribo




Minha cultura


Minha raiz



domingo, 30 de agosto de 2009

Cinema


Uma boa opção para a chuvinha que ainda não foi embora é ir ao cinema.

E esse é um dos bons filmes que estrearam esse mês .

O Contador de Histórias é baseado na história real de Roberto Carlos Ramos, que aos 13 anos foi adotado pela pedagoga francesa Margherit Duvas, se recuperou, formou-se pedagogo e é considerado um dos dez maiores contadores de histórias do mundo. Ramos estudou na França e retornou ao Brasil, onde passou a lecionar e adotou 25 crianças. O filme é dirigido por Luiz Villaça, que dirigia o quadro Retrato falado, no programa dominical Fantástico, da TV Globo. O longa conta com as participações da franco-portuguesa Maria de Medeiros, além de Malu Galli, Chico Diaz e Denise Fraga



Este blog não é destinado a comerciais, mas verdade seja dita nas compras desse mês comprei um patê para acompanhar a minha torradinha integral da Bauducco, e foi uma surpresa: O patê é D-E-L-I-C-I-O-S-O!!!!

Então deixo a dica aqui para uma merendinha rápida saudavel e rica em fibras e ômega3: Torradinha Bauducco Integral e Patê de atum com azeitonas verdes da Coqueiro...hum!!!! deu ate fominha agora, pena que já acabou.

Saudades!!!

Minha filhinha vai completar 1 aninho. Estou bastante atarefada com os trabalhos da faculdade e com os preparativos da festa pois ainda não consegui o modelo para lembrancinha e como o meu forte não é trabalho manual já sabe né? Hoje baixei algumas músicas infantis dos anos 80 para compor a trilha sonora da festinha, fiz uma mistureba com musicas da Xuxa, Eliana, do cd da Ivete e do Saulo ( que por sinal é maravilhoso) e do Trem da alegria e Balão mágico, resultado: uma saudade enorme da minha infância onde tudo era tão despretensioso e ingênuo. Lembrei que eu era apaixonada pelo Luciano do Trem da alegria e sua franjinha e me divertia muito com a irreverência do Juninho. Acho que eu vou me divertir bastante nessa festa, fazendo os amigos e amigas lembrarem os velhos tempos e mostrando essas musiquinhas tão gostosas as crianças da nova geração. video

sábado, 15 de agosto de 2009

Salto Alto


Quem me conhece sabe, ADORO SALTO ALTO.

Quando era mais nova, as minhas viagens pela cidade de Salvador eram menores e o salto sempre era permitido.

Ai que delicia ver o mundo de cima, o salto me fazia imponente e de cima dele nada parecia me derrubar.

Até quando engravidei do meu primeiro filho e lógico tive que aderir as rasteirinhas , não via a hora de retornar as minhas plataformas e saltos. Conforme as minhas viagens por Salvador foram aumentando percebi que a minha cidade não favorece as pedestres de salto...rs...longas caminhadas a pontos de ônibus, buraquinhos e crateras, ladeirinhas, ladeirões e as ruas de paralelepípedo que parecem ser patrimônio cultural da minha cidade. Ousada que sou ,estive no alto ate engravidar outra vez, abandonei os saltos na gravidez e percebi que é complicado carregar criança e os "apetrechos" em cima de um salto 15, relutei ao máximo mas fui vencida, e essa semana comprei minha primeira SAPATILHA e sabe que estou gostando? Estou em fase de adaptação pois como não usava sapatos fechados os calos estão me MATANDO, mas o estilo boneca está me encantando e por enquanto eu vou de SAPATILHA e ainda com a sensação de que nada pode me derrubar.

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Ponseti




O pé torto é uma das deformidades congênitas mais comuns, afetando cerca de 1 criança em cada 1.000 nascimentos. Em todo o mundo, ocorrem aproximadamente 100.000 novos casos de pé torto por ano. A maioria ocorre em países sem sistema de saúde adequado, levando a criança a enfrentar uma vida com incapacidade. Nos dias de hoje,o diagnóstico pré-natal do pé torto congênito é ultassonográfico, possível no chamado ultassom morfológico. Nessa ocasião, os pais são informados e devem receber informações sobre a condição e as possíveis formas de tratamento, uma vez que, se optado pelo tratamento conservador este deve ser iniciado nas primeiras semanas de vida, com maiores chances de sucesso. Depois de tantas pesquisas, comecei a lembrar que já vi muitas pessoas com PTC não tratado ou tratado incorretamente, e portanto essas crianças tornaram-se totalmente dependentes.
Venho atraves desse post de última hora sem maiores ensaios, alertar aos futuros papais e mamães sobre o pré-natal que se faz importante durante toda gravidez, e sobre o cuidado ao escolher os especialistas que cuidarão de seus filhos, consultar as diversas opiniões e buscar informações em todos os meios de acesso a comunicação e a saúde possíveis antes de escolher que caminhos seguir . . Além disso gostaria de lembrar que não somos perfeitos e devemos respeitar as diferenças, antes de preconceituar uma situação informe-se sobre ela e verá que por trás de cada dificuldade existe um GUERREIRO que nós mostra que muitas vezes murmuramos por tão pouco.
Eu hoje estava lendo a Revista Nova escola, edição especial sobre inclusão publicada no mês de julho e percebi o quão são (ou se tornam) especiais as pessoas que trabalham com alunos ESPECIAIS. Conhecendo os problemas de perto nos despimos dos nossos preconceitos, podemos buscar soluções e interferir positivamente na vida das pessoas.
LEMBRANDO: O PTC é tratavel e os resultados são mais que satisfátorios.

A importância do toque


A Importância do toque! Se sou seu bebê, Por favor, me toque. Preciso de seu afago de uma maneira que talvez nunca saiba. Não se limite a me banhar, trocar minha fralda e me alimentar, mas me embale estreitado, beije meu rosto e acaricie meu corpo. Seu carinho gentil, confortador, transmite segurança e amor. Se sou sua criança, Por favor, me toque. Ainda que eu resista e até o rejeite, insista, descubra um jeito de atender minha necessidade. Seu abraço de boa noite ajuda a adoçar meus sonhos. Seu carinho de dia me diz o que você sente de verdade. Se sou seu adolescente, Por favor, me toque. Não pense que eu, por estar quase crescido, já não precise saber que você ainda se importa. Necessito de seus braços carinhosos, preciso de uma voz terna. Quando a vida fica difícil, a criança em mim volta a precisar. Se sou seu amigo, Por favor, me toque. Nada como um abraço afetuoso para eu saber que você se importa. Um gesto de carinho quando estou deprimido me garante que sou amado, e me reafirma que não estou só. Seu gesto de conforto talvez seja o único que eu consiga. Se sou seu parceiro, Por favor, me toque. Talvez você pense que sua paixão basta, mas só seus braços detêm meus temores. Preciso de seu toque terno e confortador, para me lembrar de que sou amado apenas porque eu sou eu. Se sou seu filho adulto, Por favor, me toque. Embora eu possa até ter minha própria família para abraçar, Ainda preciso dos braços do pai ou da mãe quando me machuco. Se sou seu pai idoso, Por favor, me toque. Do jeito que me tocaram quando eu era bem pequeno. Segure minha mão, sente-se perto de mim, dê-me força e aqueça meu corpo com sua proximidade. Minha pele, ainda que muito enrugada, adora ser afagada. Não tenha medo, apenas me toque...

Eu



"Ninguém nasce odiando outra pessoa pela cor de sua pele, por sua origem ou ainda por sua religião.Para odiar, as pessoas precisam aprender, e se podem aprender a odiar, podem ser ensinadas a amar." Nelson Mandela


Eu:


Geminiana, inconstante mas constante...rs

Estudante de Pedagogia, sim! eu acredito que a educação é detentora da mudança que desejo ver no mundo e que isto não deve depender de nenhum governo e sim de cada um de nós: Pais, mães e educadores.

Acredito que a DIVERSIDADE é a nossa maior riqueza e precisamos ensinar isso a nossas crianças.